Continuando a sequência de entrevistas de Danielle Panabaker a respeito do episódio 6×06 “License to Elongate”, dirigido pela atriz, trazemos a tradução da matéria do TV Guide, onde Danielle fala sobre a volta da leveza cômica de Grant Gustin no episódio, e o showrunner Eric Wallace conta sobre os cortes de piadas de James Bond e tece elogios a performance de Danielle como diretora.

The Flash sempre esteve em seu melhor quando brinca com seus tons patetas, mas isso foi decididamente difícil de fazer na 6ª temporada. O assunto sombrio naturalmente tomou conta, mas a desgraça e a melancolia serão suspensas no episódio 6 “License to Elongate”.

Enquanto a estrela da série, Danielle Panabaker, volta para a cadeira do diretor, Barry (Grant Gustin) e Ralph (Hartley Sawyer) vestem smokings elegantes para assumir uma aventura muito parecida com James Bond. Os espectadores poderão ver o ouro cômico de Gustin, enquanto Barry toca o segundo violino de um Ralph surpreendentemente suave. É um bom lembrete de que, quando Barry está fora do traje do Flash (e às vezes até quando está nele), ele é, no fundo, um pateta. É um elemento que não temos visto muito recentemente, e é por isso que vai ser um bom limpador de paladar enquanto nos dirigimos para o decididamente escuro final de duas partes da meia-temporada e o crossover Crisis on Infinite Earths.

“Grant é incrivelmente talentoso e, particularmente nesta temporada, enquanto se preparam para a crise, não conseguimos ver muita leveza nele”, disse Panabaker a repórteres em uma exibição do episódio. “E para realmente dar a ele a oportunidade… de realmente se aproximar da comédia, acho que foi divertido para ele. Havia algumas cenas de dublê que eu não pretendia que ele fizesse, ele subiu ao palco e ficou tipo: ‘Bem, posso fazer isso?’ E eu fiquei tipo, ‘Isso não depende de mim!’ Então você sabe, acho que ele estava realmente se divertindo.”

Além da comédia absolutamente encantadora de Gustin, também teremos um dilúvio absoluto de piadas e referências de James Bond. O showrunner Eric Wallace atribui a todos eles a sala de escritores fantásticos, que não resistiu a nenhuma oportunidade de satisfazer seus fãs internos de Bond.

“Sentamos na sala dos roteiristas – somos as pessoas mais nerds do mundo, é ótimo”, disse ele. “De fato, existem tantas piadas de Bond que tivemos que cortar do roteiro. Só teria sido embaraçoso naquele momento. Nós meio que dissemos tudo bem, vamos fazer uma ou duas específicas”.

De fato, toda uma sequência de luta de James Bond acabou sendo cortada da versão final do episódio e ainda parecia que as referências de Bond estavam sendo lançadas para nós, esquerda e direita. Você pode imaginar como era o primeiro corte desse episódio?

A pessoa que tomou essas decisões difíceis sobre o que cortar foi Panabaker, que anteriormente dirigiu “Godspeed” da 5ª temporada. Wallace não poderia dizer coisas boas o suficiente sobre as habilidades de direção nativa de Panabaker, ajudadas, é claro, por seu conhecimento íntimo da série, da equipe e do elenco, tendo mais de 100 episódios de experiência com a série em seu currículo.

“Ela é uma diretora fantástica”, disse Wallace, “e posso dizer isso com confiança porque a vi em ação. Ela estava muito preparada. Ela sabia exatamente o que estava fazendo; filmava a construção, trabalhava com o diretor de fotografia, trabalhava com a atores, com as coisas cortadas em sua cabeça. Eu não ficaria surpreso em vê-la dirigindo muitos outros episódios do programa. Ela apenas fez um ótimo trabalho, e eu estou super feliz.”

Fonte: TV Guide
Tradução e adaptação por Danielle Panabaker Brasil