No último domingo (14/10), a emissora americana CW realizou um evento para o lançamento de sua temporada de outono. O evento, em parceria com o movimento #SeeHer, destacou mulheres que trabalham dentro e fora das câmeras. O site Collider esteve no tapete vermelho e conversou com Danielle Panabaker sobre a 5ª temporada de The Flash, a dualidade de Caitlin Snow e Killer Frost, o crossover deste ano, e a sua estreia como diretora.

Com o que você está mais animada de já ter feito nesta temporada?

Eu sinto que eles estão fazendo um ótimo trabalho tentando mostrar um pouco mais de Caitlin e Killer Frost e se aprofundar em sua história.

Quão divertido é interpretar a dualidade de Caitlin Snow e Killer Frost na mesma personagem?

É a melhor coisa. Eu me sinto tão sortuda! Sempre digo que é ótimo estar em uma série de super-heroi porque você realmente pode aprofundar as coisas e se divertir com isso. Você pode se divertir muito. É realmente divertido brincar com a dualidade. Quando você entra para uma série de TV, você interpreta o mesmo personagem por 100 episódios, mas eu não. Tenho muita sorte de poder interpretar tantas versões diferentes.

Com o que você está mais animada em relação ao crossover?

E eu estava dizendo para Beth Scwartz que estou muito animada com esse crossover porque se parece um pouco mais com o primeiro que nós fizemos. Voltará a ser um elenco bem menor de personagens no crossover dessa vez, indo de série para série. Não há muitos de nós. É legal. Na verdade, parece um pouco nostálgico. E as séries têm novos personagens, então eu posso viajar e estar em outras séries.

Como você se sente ao ser a primeira atriz do Arrowverse a dirigir um episódio da própria série?

Eu fiquei impressionada quando me disseram isso na Comic Con. Eu não fazia ideia.

É algo que você esteve pensando em fazer por um tempo?

Sim, é algo que tenho pensado e pedido durante um tempo. Estou tão orgulhosa. O que tem sido muito legal é o número de mulheres que, depois disso, se aproximaram e disseram “Como você fez isso?”. Tem sido muito legal compartilhar essa informação. Frequentemente nós somos ensinados a guardar essas informações para nós mesmos porque o sucesso de outra pessoa pode diminuir o nosso próprio sucesso, e isso não é verdade de jeito nenhum. Tem sido muito bom ajudar e apoiar outras mulheres a, espero que, dirigir também.

O que fez da 5ª temporada a temporada certa para tentar dirigir?

Nós fizemos 100 episódios da série, e eu sempre prestei atenção aos efeitos especiais e coisas do tipo. Quando nós temos novos diretores chegando, eu tenho empatia por eles porque aprender sobre os efeitos especiais é uma linguagem completamente diferente. Como alguém que esteve ali por tanto tempo e entende, eu acho que tenho uma vantagem sobre alguém que nunca tenha feito isso. Após esse tempo, eu realmente me senti confortável em tomar esse próximo passo.

Quais são os aspectos mais assustadores sobre isso? É estranho de repente ser um pouco de “chefe” dos seus colegas de trabalho?

Eu não vejo a direção como ser o chefe deles. Espero que eles saibam que eu estou com eles de uma forma realmente especial e única. Se um novo diretor aparece, ele pode não ter visto todos os nossos 100 episódios, mas eu vi. Eu vivi eles, eu conheço as histórias e sei os processos e problemas. Tendo estado lá com o resto do elenco e todas essas histórias por tanto tempo, eu sei o que é importante para eles e eu quero apoiá-los, em qualquer coisa que for.

Como mulher em uma indústria ainda predominada por homens, quando você começou a sentir que tinha uma voz e que sua voz estava sendo ouvida?

Eu sempre valorizei ser profissional, respeitar o processo das outras pessoas e ter o meu próprio processo. Se você ver pelo ponto de vista de “Você está tentando fazer o seu melhor e eu também. Vamos ver como podemos trabalhar juntos e colaborar.” Essa sempre foi a minha perspectiva. Eu tenho um amigo que me viu no set e disse “Você tem uma opinião? Que surpresa!”, eu sempre tenho uma opinião, mas acho importante expressá-la de uma forma muito empática e respeitosa.

Além disso, o site também conversou como ator Hartley Sawyer (Ralph Dibny, em The Flash) sobre a estreia de Danielle como diretora.

Hartley, como é ter uma de suas colegas de trabalho, Danielle Panabaker, dando esse passo ao dirigir um episódio nessa temporada? Isso te inspira a querer tentar também?

HS: Me inspirou a querer tentar, e também me intimidou, percebendo o quão monumental é essa tarefa. Ela fará isso e fará muito bem. Não tenho dúvidas disso. Eu conheço Danielle antes de entrar para a série, a conheço há vários anos. Fiquei muito animado quando isso foi anunciado e ouvi oficialmente. Estou muito orgulhosa dela. Não consigo pensar em alguém que mereça mais. Ela é muita das pessoas mais trabalhadoras que eu conheci nesse meio, sem dúvida.

Fonte: Collider
Tradução e adaptação por Danielle Panabaker Brasil