A espera finalmente acabou e a 6ª temporada de The Flash estreia nesta terça-feira (8), com o episódio 6×01 “Into The Void”. Desde o início das gravações até agora, foram reveladas algumas informações sobre a história de Caitlin e Killer Frost na atual temporada. Separamos neste post um compilado de todas as informações já divulgadas em diversas entrevistas.

Confira:

No final de setembro, o TV Line compartilhou alguns spoilers sobre a história de Caitlin e Killer Frost na 6 temporada de The Flash.

Algo sobre Caitlin Snow e Killer Frost de The Flash?
“Killer Frost vai explorar sua humanidade de maneiras que nunca vimos antes – e às vezes isso significa que ela está na equipe mais do que Caitlin”, disse o produtor Eric Wallace a Matt Mitovich. “Isso não significa que Caitlin se foi – obviamente ela é parte integrante da história, porque ela tem a conexão com nosso grande vilão, Bloodwork (também conhecido como Dr. Ramsey Russo). Mas um pouco da diversão, da tristeza e de alguns mistérios do passado de Killer Frost com os quais ainda não conseguimos lidar, agora podemos.” (Falando no Dr. Russo, interpretado por Sendhil Ramamurthy, Wallace diz que é “uma possibilidade definitiva” que Killer Frost tenha sua própria opinião sobre o belo colega de Caitlin!)

Fonte: TV Line

Ao EW, o showrunner da série, Eric Wallace, diz que Killer Frost pode assumir um papel maior na 6ª temporada.

A 6ª temporada contará com Caitlin e sua persona congelante sofrendo com a perda de seu pai, o que será uma experiência reveladora para as duas personagens.

“A maneira como elas lidam com isso será uma novidade encantadora de ambas personagens, mas terá um impacto especial em Killer Frost,” diz Wallace. “Essa é uma grande temporada para Killer Frost. Não se surpreenda se ela assumir um papel ainda maior.”

Fonte: Entertainment Weekly

Ao Collider, o showrunner Eric Wallace revela que Killer Frost na 6ª temporada é “quase como uma adolescente que finalmente pegou as chaves do carro, mas não sabe como dirigir”.

Com Killer Frost e Caitlin chegando a um acordo, o que veremos de Killer Frost tentando ter uma vida?

Wallace: Agora que ela tem um instrutor de vida? Tem sido um encanto escrever Killer Frost nessa temporada. Ela está muito mais à frente do que Caitlin. Isso de instrutor de vida começa no episódio 6×02. Nós entregamos, e isso levou a situações hilárias. Falamos dela quase como uma adolescente que finalmente pegou as chaves do carro, mas não sabe como dirigir e então ela precisa dirigir para ir à loja, ao cinema ou a qualquer outro lugar. Tudo é novo através dos olhos dela, o que significa que ela cometerá alguns erros, o que é ótimo. Isso vai levar a algumas lágrimas, mas ela também vai se transformar em algo que não existia antes. Talvez perca esse ‘Killer’. Talvez seja apenas ‘Frost’, no final das contas. E Danielle está se divertindo. Eu disse a ela o que acontecerá na metade da temporada, porque é onde nós estamos agora. Estamos na novela gráfica número dois, e o resultado de onde ela termina, emocionalmente, a parte um, dá a ela a força para enfrentar o que está na parte dois.

Fonte: Collider

O site Hypable assistiu o episódio 6×01 “Into The Void” e compartilhou um pouco da história de Caitlin e Frost na estreia da 6ª temporada.

Apesar de se tornar um time na temporada passada, Caitlin e Killer Frost possuem alguns problemas a lidar nesse episódio. Frost não apareceu desde Logo depois que o seu pai, Thomas, morreu. Mesmo quando ela era absolutamente necessária.
Durante o episódio, a comunicação entre as duas (mulheres, personalidades? Como estamos descrevendo os dois lados de Caitlin?) é vira para descobrir suas circunstâncias. De forma incrível, é Ralph que ajuda as duas a trabalhar isso e entender o que está acontecendo.

Fonte: Hypable

Ao TV Guide, Danielle Panabaker e Sendhil Ramamurthy garantem que a conexão do passado entre Caitlin e Ramsey – o vilão da primeira parte da 6ª temporada, é uma relação de irmão e irmã e não haverá nenhum relacionamento romântico entre os dois.

“Eu acho que muitas pessoas provavelmente esperam que seja algo romântico, e totalmente não é,” Ramamurthy disse ao TV Guide. “É um vínculo muito próximo, do tipo irmão e irmã, que Caitlin e Ramsey possuem. E as cenas que tenho com Danielle são muito legais. São realmente muito doces em muitas maneiras.”

“Vemos Caitlin e Ramsey interagirem muito no início da temporada”, disse Panabaker. “A mãe de Ramsey morre e Caitlin vai ao funeral, e você pode dizer instantaneamente que há uma história entre eles e realmente muito carinho. Eles são do tipo irmão e irmã e têm muito respeito e amor um pelo outro. Mas esse relacionamento muda rapidamente quando Caitlin obtém mais informações sobre o que Ramsey está fazendo.”

Fonte: TV Guide, confira a tradução desta matéria completa aqui.

Uma das grandes novidades da temporada em relação as personagens de Danielle, é que Frost ganhou um novo traje! O visual, que está pronto desde a 5ª temporada, foi inspirado em diversas versões de Killer Frost nos quadrinhos. Ao site Insider, Danielle falou sobre o processo de criação e algumas curiosidades de seu novo visual. Confira a matéria completa traduzida aqui.

Tradução por Danielle Panabaker Brasil

A 6ª temporada de The Flash estreia no dia 8 de outubro, às 22h (horário de Brasília), no canal americano The CW.

A 6ª temporada de The Flash estreia nesta terça-feira (8) e, assim como as temporadas anteriores, terá um novo vilão. Desde que anunciaram Ramsey Rosso, o Bloodwork, interpretado pelo ator Sendhil Ramamurthy como o grande malvado da primeira parte da 6ª temporada, revelaram que ele compartilha uma conexão com o passado de Caitlin. Ao TV Guide, Danielle Panabaker e Sendhil Ramamurthy garantiram que a relação entre os dois personagens não será romântica, e sim fraternal, de irmão e irmã.

Confira:

Se você estava esperando um romance Snow/Rosso na 6ª temporada, desculpe por decepcionar

Shippers, não liguem os seus motores! Um novo vilão está chegando na cidade para a 6ª temporada de The Flash, e ele tem um relacionamento muito próximo com um dos membros da Equipe Flash. Entretanto, você pode deixar de lado as noções românticas que tiver sobre o Dr. Ramsey Rosso (Sendhil Ramamurthy), também conhecido como Bloodwork, e nossa amada Caitlin Snow (Danielle Panabaker).

Quando o personagem de Ramsey foi anunciado na San Diego Comic Con, o novo showrunner de The Flash, Eric Wallace, adiantou que ele teria uma história com Caitlin. Essa história, como se vê, levou a um relacionamento muito mais próximo do que esperávamos. Mas simplesmente não é o tipo de relacionamento onde eles ocasionalmente se envolvem amorosamente.

“Eu acho que muitas pessoas provavelmente esperam que seja algo romântico, e totalmente não é,” Ramamurthy disse ao TV Guide. “É um vínculo muito próximo que Caitlin e Ramsey possuem, do tipo irmão e irmã. E as cenas que tenho com Danielle são muito legais. São realmente muito doces em muitas maneiras.”

Para aqueles fãs que viveram o tumulto aparentemente interminável da vida romântica de Caitlin, isso é um grande alívio, especialmente quando você se lembra de como aconteceu o último romance dela com um grande vilão. Honestamente, é um milagre que Zoom não tenha assustado Caitlin dos homens para sempre!

Só porque ela não vai estar ocupada com Ramsey, no entanto, não significa que os dois não estarão puxando nossos corações na 6ª temporada. Segundo Panabaker, eles serão a fonte de muita angústia logo depois da estreia da temporada.

“Vemos Caitlin e Ramsey interagirem muito no início da temporada”, disse Panabaker. “A mãe de Ramsey morre e Caitlin vai ao funeral, e você pode dizer instantaneamente que há uma história entre eles e realmente muito carinho. Eles são do tipo irmão e irmã e têm muito respeito e amor um pelo outro. Mas, esse relacionamento muda rapidamente quando Caitlin obtém mais informações sobre o que Ramsey está fazendo.”

Vamos deixar o que ele está fazendo como um mistério, mas, como qualquer bom vilão, Ramsey Rosso tem um plano e está disposto a fazer um grande esforço para ver seus objetivos atualizados. E, no caso dele, os fins podem não justificar os meios quando tudo estiver dito e feito.

Fonte: TV Guide

Tradução por: Danielle Panabaker Brasil

Pelo 6º ano, Danielle Panabaker compareceu à San Diego Comic Con, em San Diego – Califórnia junto com seus colegas de elenco de The Flash, Grant Gustin, Carlos Valdes, Hartley Sawyer, Candice Patton, Tom Cavanagh e o novo showrunner da série, Eric Wallace. Juntamos nesse resumão, tudo o que a atriz e seus colegas de elenco fizeram na convenção, assim com as novidades sobre a 6ª temporada de The Flash.

SEXTA-FEIRA (19)

Danielle Panabaker compareceu a festa promovida pela Warner Bros.

SÁBADO (20)

Danielle e o elenco concederam diversas entrevistas e participaram de algumas sessões de fotos.

O elenco também participou da sessão de autógrafos no estande da Warner Bros. TV

E finalizou sua participação na convenção no painel de perguntas e respostas, onde foi exibido o primeiro trailer da 6ª temporada de The Flash.

Alguns destaques sobre a Danielle no painel e nas entrevistas:

Danielle irá dirigir o episódio 6×06 de The Flash;

Danielle acha que a 5ª temporada foi ótima em explorar o relacionamento entre Caitlin e Killer Frost, e este ano veremos mais de KF no Star Labs e o quão útil, ou não, ela é. Veremos ela sair um pouco e ter uma vida.

– A sexta temporada explorará tanto o apoio de Caitlin à Cisco quanto suas noções preconcebidas sobre Killer Frost.

Danielle traria Ronnie de volta se ela pudesse, ninguém vem antes dele.

– O vilão da primeira parte da temporada, Bloodwork, é um velho conhecido de Caitlin.

– Carlos Valdes está animado para explorar a dinâmica entre Cisco e Killer Frost, que é bem diferente da sua com Caitlin.

– Killer Frost estará mais no comando, veremos a relação da Killer Frost com a Equipe Flash e aprenderemos mais sobre ela e como ela se sente sobre estar por aí no mundo.

– Durante o painel de The Flash, uma fã, de cosplay de Killer Frost, se emocionou ao fazer uma pergunta para Danielle!

No final da noite, Danielle compareceu à festa anual do Entertainment Weekly pós-Comic Con.

Ao TV Guide, Danielle Panabaker falou sobre sua estreia como diretora no episódio 5×18 de The Flash. A atriz conta um pouco sobre os desafios de se dirigir em uma cena, suas inspirações, os conselhos que recebeu de outras diretoras e também antecipa momentos angustiantes entre alguns personagens da série. Confira a tradução na íntegra:

O novo episódio desta semana de The Flash, intitulado ‘Godspeed’, promete ser um dos grandes, e não apenas porque Barry (Grant Gustin) finalmente confrontará sua filha Nora (Jessica Parker Kennedy) sobre omitir que estava trabalhando com o Flash Reverso (Tom Cavanagh). É também um marco porque é a estreia de Danielle Panabaker na direção!

Esta não será a primeira vez que um membro do elenco de The Flash pisa atrás das câmeras – até agora Cavanagh já fez isso três vezes.

TV Guide conversou com Panabaker sobre a assustadora tarefa de encarar um episódio que agride emocionalmente todos os personagens envolvidos e os desafios que surgem ao dirigir a si mesma em uma dessas grandes cenas no córtex.

A primeira pergunta quando você está dirigindo um episódio é: o quanto conseguiremos ver de sua personagem, dada a quantidade de tempo que você esteve atrás das câmeras?
DP: Não muito. Caitlin é um pouco mais leve no episódio 18, porque este episódio começa com um corte direto na equipe Flash se recuperando ao saber da notícia de que Nora estava trabalhando com Eobard Thawne. E assim, enquanto eles tentam desvendar o porquê de Nora tomar essa decisão, eles resolvem ler o seu diário e esse é o nosso portal de volta ao ano 2049 – quer dizer, de avançar para o ano 2049 – e entender Nora e como ela se tornou assim e como ela começou a trabalhar com Thawne.

Obviamente isso é uma grande reviravolta na temporada, foi intimidante ter recebido um episódio tão grande para dirigir?
DP: Absolutamente. Intimidante, sim, mas também empolgante. Tive muita sorte porque eu recebi um episódio fantástico com muitas grandes histórias para contar, então isso realmente foi um desafio, mas também foi emocionante. Você sabe que assumiu a responsabilidade quando algo assim é pedido a você.

O resto do elenco te apoiou nesta sua primeira vez dirigindo?
DP: Sim, eu tive muita sorte. Acho que todos eles confiaram em mim e entenderam que eu estava trabalhando muito neste episódio, mas eu também queria permitir que eles realmente brilhassem e fizessem o seu melhor trabalho. Em um cronograma de TV, pode ser difícil às vezes; há muitas coisas que você tenta realizar em um dia, mas as performances são de vital importância neste episódio. Os personagens e as performances dos atores são muito importantes, então eu realmente só queria criar um ambiente onde os atores pudessem fazer o seu melhor trabalho, e eu acho que em particular, Grant, Jessica e Tom, realmente brilharam neste episódio.

Do que já foi adiantado, parece que há muita emoção acumulada em cada segundo de cada cena.
DP: Sim, e há alguns momentos mais leves também. Tivemos a sorte de ter Kathryn Gallagher para interpretar a melhor amiga de Nora no futuro, e ela é um sonho. Há muitas coisas boas que eu espero que os fãs gostem.

Qual foi o maior desafio que você enfrentou para se dirigir?
DP: Hum, eu não gostei, o que é algo que você não sabe até que você tente. São essas grandes cenas no córtex com todo mundo, então certamente foi um desafio tentar configurar tudo, porque estávamos trabalhando com três câmeras, e não poder sentar atrás dos monitores e assistir para ter certeza de que estávamos conseguindo as coisas. Então eu estava tentando prestar atenção nisso enquanto estava na cena e também tentando não esquecer minha fala. Certamente foi um desafio, mas consegui.

Teve algum diretor que você tenha trabalhado antes que te inspirou ou que você pediu conselhos?
DP: Eu pedi conselhos para todos os diretores que encontrei durante um ano. Desde que eu soube que dirigiria um episódio, eu ficava: ‘Quais são as suas dicas? O que eu faço? Como faço para ter sucesso?’ Eu tive muita sorte em minha carreira – obviamente nos últimos anos eu tenho sido incrivelmente apoiada pela minha família Flash e por todos que trabalham lá enquanto eu tentei aprender e entender mais. Uma das primeiras coisas que eu fiz foi uma minissérie para a HBO e eu lembro que o diretor da minissérie, Fred Schepisi, permitiu que eu o assistisse editar. Ele estava assistindo as primeiras impressões das gravações, e essa foi uma experiência altamente informativa para mim, porque, como atriz, às vezes você está tão focado em seu próprio desempenho que às vezes é difícil ver o impacto do que você está fazendo em um sentido mais amplo. Então, eu nunca vou esquecer de assisti-lo editar, e isso certamente me mudou e me moldou como atriz.

Sei que você está envolvida na campanha #Shethority para apoiar as mulheres na indústria, houve alguma diretora mulher que te inspirou?
DP: Sim, tivemos uma diretora incrível na 4ª temporada chamada Tara Weir e generosamente ela me deu ótimos conselhos, que foram valiosos como mulher e como diretora, de várias maneiras. Eu pedi conselhos a Lexi LaRoche, que era supervisora de roteiro em The Flash. Fui atrás de todas que eu tive alcance. E sou grata por todas elas.

Há algum momento neste episódio que você tenha se sentido particularmente orgulhosa e esteja ansiosa para os fãs verem?
DP: Quero dizer, acho que é um ótimo episódio. Tive a sorte de obter um roteiro fantástico e com tantos grandes momentos. Há vários momentos realmente angustiantes entre Grant e Jessica, e também entre Grant e Tom. Existem algumas épicas cenas de luta. Espero que tenha tudo o que um fã de Flash queira.

Fonte: TV Guide
Tradução e adaptação por Danielle Panabaker Brasil